EUA deslocarão soldados da Coréia do Sul para o Iraque

Os Estados Unidos planejam deslocar para o Iraque mais de 4 mil soldados americanos estacionados na Coréia do Sul, retirando forças posicionadas no último foco ativo da Guerra Fria para lidar com a crescente onda de violência no país árabe ocupado, informaram autoridades sul-coreanas nesta segunda-feira. O reposicionamento de tropas sinaliza a primeira grande diminuição nos níveis de soldados americanos na Península Coreana desde 1992. A medida também destaca a preocupação do comando militar americano em manter um nível de tropas considerado adequado ao mesmo tempo em que precisa se ater a outros compromissos. A Coréia do Sul concordou com o plano dos EUA, que pretendem enviar uma brigada de 4.000 soldados da 2ª Divisão de Infantaria estacionados perto da fronteira com a Coréia do Norte, disse Kim Sook, diplomata-chefe da divisão de assuntos norte-americanos da chancelaria sul-coreana. A fronteira entre as Coréias do Norte e do Sul é considerada a região mais armada do planeta. Kim comentou que o deslocamento das tropas americanas para o Iraque poderia durar alguns meses. O presidente dos EUA, George W. Bush, telefonou para seu homólogo sul-coreano, Roh Moo-hyun, para "explicar que o reposicionamento de soldados americanos na Coréia do Sul é inevitável para que a soberania iraquiana seja transferida com sucesso", divulgou o gabinete de Roh. "O presidente Roh manifestou sua compreensão." Os 14 mil soldados da 2ª Divisão de Infantaria compõem a espinha dorsal da presença militar americana na Coréia do Sul. Atualmente, 37 mil soldados dos EUA estão posicionados em acampamentos militares espalhados ao longo da fronteira entre as duas Coréias.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.