EUA detêm paquistanês que acreditava ajudar Al-Qaeda

Um paquistanês naturalizado americano foi preso na manhã de ontem acusado de tentar ajudar pessoas que ele acreditava ser membros da Al-Qaeda. Segundo o Departamento de Justiça, Farouk Ahmed, de 34 anos, pensava estar colaborando para um ataque contra estações do metrô de Washington.

, O Estado de S.Paulo

28 de outubro de 2010 | 00h00

"Representantes do governo enfatizaram que em nenhum momento a população esteve em perigo durante a investigação", informou o Departamento de Justiça em uma nota. "O FBI estava ciente das atividades de Ahmed mesmo antes da suposta tentativa de ataque e monitorou suas atividades até o momento de sua prisão", acrescentou.

O suspeito é acusado de tentar fornecer material de apoio à organização terrorista, de coletar informações para ataques em locais públicos e de tentar prover material para a realização de atentados a bomba simultâneos. Se condenado, Ahmed pode pegar até 50 anos de prisão.

Segundo o FBI, o acusado se encontrou diversas vezes desde abril com pessoas que acreditava pertencer à Al-Qaeda.

Em um dos encontros, ele teria concordado em fotografar um hotel de Washington e uma estação de metrô de Arlington, cidade próxim à capital americana. Ele também é suspeito de vigiar e gravar vídeos da mesma estação em pelo menos quatro oportunidades, além de ter concordado em obter informações sobre a segurança de duas estações de metrô. / AP e REUTERS

PARA LEMBRAR

Em outubro, o paquistanês naturalizado americano Faisal Shahzad foi condenado à prisão perpétua por tentar explodir um carro-bomba na Times Square, em Nova York, em 1.º de maio. O terrorista admitiu que sua meta era matar ao menos 40 pessoas. Meses antes do fracassado ataque, Shahzad havia recebido treinamento do Taleban no Paquistão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.