Dieu Nalio Chery/ AP Photo
Dieu Nalio Chery/ AP Photo

EUA determinam retirada de americanos do Haiti por protestos violentos

Departamento de Estado anunciou retirada 'pessoal que não é de emergência' do território haitiano; manifestações contra governo no país da América Central deixaram pelo menos nove mortos em pouco mais de uma semana

Redação, O Estado de S.Paulo

15 de fevereiro de 2019 | 02h50

WASHINGTON - O governo dos Estados Unidos determinou nesta quinta-feira, 14, a retirada do Haiti de "todo pessoal americano que não é de emergência". A medida, anunciada pelo Departamento de Estado, foi tomada em razão dos protestos que exigem a queda do presidente haitiano, Jovenel Moise.

"Atualmente há manifestações generalizadas, violentas e imprevisíveis em Porto Príncipe e em outras partes do Haiti. Devido a estas manifestações, em 14 de fevereiro de 2019, o Departamento de Estado ordenou a saída de todo o pessoal dos Estados Unidos que não seja de emergência e de seus familiares", disse o órgão em um comunicado.

No anúncio, o Departamento de Estado afirma que o governo dos Estados Unidos tem uma capacidade limitada para oferecer serviços de urgência aos cidadãos americanos no Haiti. O governo americano destacou ainda que viajantes que chegam ao país estão sendo alvos de ataques violentos e saques logo depois de sair do aeroporto de Porto Príncipe. Esta quinta-feira marcou o oitavo dia de manifestações contra a corrupção e o governo de Jovenel Moise. Durante os protestos, que já deixaram pelo menos nove mortos, foram registrados diversos saques, ataques e até mesmo a fuga de 78 presos de uma cadeia no sul do país na última quarta-feira, 13. \ AFP e EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.