Raul ARBOLEDA / AFP
Raul ARBOLEDA / AFP

EUA devem mandar mais 200 toneladas de ajuda humanitária para fronteira com a Venezuela

Até agora, o presidente venezuelano Nicolás Maduro não autorizou a entrada dos alimentos e dos remédios, considerada por ele um pretexto para a invasão do país

Redação, O Estado de S.Paulo

15 de fevereiro de 2019 | 16h02

WASHINGTON - Um avião militar americano deve entregar 200 toneladas de ajuda humanitária à fronteira da Colômbia com a Venezuela no sábado, 16, disse uma fonte do governo americano à agência Reuters

O carregamento deve se somar às 50 toneladas que chegaram a Cúcuta no dia 7. Até agora, o presidente venezuelano Nicolás Maduro não autorizou a entrada dos alimentos e dos remédios, que considera um pretexto para a invasão do país. 

Ainda de acordo com a fonte, o anúncio oficial da entrega da nova remessa de ajuda deve ser feito pelo Departamento de Estado ainda nesta sexta-feira, 15. A mesma fonte garantiu que a ajuda humanitária não será “forçada” fronteira adentro. 

No começo da semana, o líder opositor Juan Guaidó, que se declarou presidente interino do país em janeiro, prometeu concluir a entrega dos alimentos e remédios até o dia 23

Mais cedo, o governo americano anunciou sanções contra cinco funcionários da inteligência e segurança próximos a Maduro.

Entre os que receberam sanções, estão membros do Serviço de Inteligência Nacional Bolivariano (SEBIN) e da Guarda Presidencial de Maduro e militares da PDVSA. Eles terão os bens nos Estados Unidos congelados, foram proibidos de viajar para o país e transações financeiras com eles foram vetadas. /REUTERS e EFE

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.