EUA devem proteger o mundo do terrorismo, diz Kissinger

O ex-secretário de Estado dos Estados Unidos, Henry Kissinger, disse hoje, durante um evento em Las Vegas, que os EUA têm a responsabilidade de liderar a proteção do mundo contra o terrorismo internacional. Na sua exposição, ele também falou sobre o Brasil, Oriente Médio e admitiu que os norte-americanos não entendem a importância da União Européia. Sobre a recente guerra contra o Iraque, ele disse que o mais importante não é perguntar se os iraquianos tinham armas de destruição em massa, mas para onde elas foram levadas. Para Kissinger, os atentados de 11 de setembro mudaram radicalmente a história mundial e provaram que os EUA ainda têm dificuldade para lidar com a política externa. Como exemplo, citou o fato de que os norte-americanos não dão a importância devida à União Européia, que atualmente engloba 15 países e logo terá a adesão de mais 10. Henry Kissinger se mostrou otimista com o processo de paz na Oriente Médio. Ele afirmou que a definição de um limite físico para separar as duas regiões porá fim ao conflito secular. Sobre as nações do terceiro mundo com potencial de crescimento econômico, Kissinger mencionou a China e o Brasil, mas ressaltou que vem sendo repetido a cada 10 anos que o Brasil pode despontar como potência econômica, o que ainda não se confirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.