EUA devem vetar resolução da ONU que proteja Arafat

Diplomatas americanos na ONU deram mostras de que vão vetar uma possível resolução do Conselho de Segurança que proteja o presidente da Autoridade Nacional Palestina Yasser Arafat. O Rascunho de uma resolução foi apresentado na semana passada logo depois de Israel sinalizar com a expulsão do líder palestino de sua base na Cisjordânia. A Síria pretendia apresentar a proposta de resolução ontem, depois de horas de discussão sobre o problema em uma sessão aberta do Conselho de Segurança na qual discursaram mais de 40 países. Mas representantes de outros países convenceram o embaixador sírio a adiar a apresentação do documento. Foi feita uma nova versão do texto. A nova versão, colocada em circulação hoje, pede que a ONU garanta a segurança de Arafat e expressa "grave preocupação com a recente escalada de execuções extrajudiciais e ataques suicidas com bombas". O texto foi considerado equilibrado por condenar atos de violência de ambos os lados. E manteve o ítem sobre a suspensão das ameaças a Arafat. "Eu não acho que o texto revisado tenha qualquer diferença em relação ao texto anterior. Tirem suas próprias conclusões", disse a repórteres o vice-embaixador dos EUA na ONU, James Cunningham. O embaixador dos EUA, John Negroponte, disse ontem que os EUA não deixariam passar uma resolução que não mencionasse os grupos extremistas Hamas e Brigadas dos Mártires de Al-Aqsa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.