EUA deverão enviar mais 120 mil homens ao Iraque

O Departamento de Defesa dos EUA anunciou nesta quinta-feira que vai aumentar até o mês que vem em 120 mil homens o contingente no Golfo Pérsico. Atualmente, há cerca de 310 mil militares na área, dos quais 100 mil no Iraque e os demais em porta-aviões, navios de transporte, unidades nos países do Golfo e em bases na Turquia, Alemanha a na ilha britânica de Diego Garcia. Há ainda 45 mil britânicos na região.Vinte mil homens da 4ª Divisão de Infantaria vão partir nos próximos para o Iraque e um outro contingente de 100 mil soldados e marines, incluindo uma unidade na Alemanha, já recebeu ordens de preparar-se, informou a rede de TV a cabo CNN.Nesta quinta-feira o Comando Central dos EUA informou que 12 marines estão desaparecidos e 14 ficaram feridos em combates perto de Nasiriya, no sul do Iraque. Na mesma região, na noite de quarta-feira cerca de 30 soldados norte-americanos ficaram feridos num ataque dos próprios companheiros, que os confundiram com iraquianos.Funcionários do Pentágono disseram que a escalada militar não é novidade e faz parte do plano de guerra, pois a convocação de mais de 200 mil homens havia sido anunciada antes do ataque ao Iraque.Em uma entrevista antes do anúncio da ampliação do contingente no Golfo, o secretário da Defesa, Donald Rumsfeld, negou que o Pentágono tenha mudado o plano de guerra por causa da resistência das forças iraquianas e esteja se apressando na convocação de mais homens para enfrentar as forças iraquianas.No front no sul do Iraque, os comandantes das forças norte-americanas disseram estar se preparando para a maior batalha até agora na rota em direção a Bagdá: um confronto perto da cidade sagrada xiita de Kerbala, na região central, com membros da Guarda Republicana, a força de elite do presidente Saddam Hussein.A previsão dos militares é que o combate decisivo para o avanço sobre Bagdá deve ocorrer dentro de 48 a 72 horas. Há dois dias eles lutam com forças iraquianas no percurso em direção ao norte. "Kerbala está ganhando contornos de uma grande batalha", disse o coronel Paul Grosskruger, do 94º Batalhão de Engenharia, vinculado à 3ª Divisão de Infantaria dos EUA.Tropas norte-americanas e britânicas estão envolvidas também numa intensa batalha pela cidade de Samawa, a 240 quilômetros de Bagdá. A tomada dessa localidade é essencial para permitir a passagem de suprimentos para as forças que avançam em direção ao norte.O Comando Central militar dos EUA, com sede atualmente no Catar, negou que um helicóptero Apache tenha sido derrubado pelos iraquianos e garantiu que nenhum aparelho está desaparecido. A TV árabe por satélite Al-Jazira mostrou hoje imagens de de um helicóptero norte-americano cercado por iraquianos mostrando os fuzis. Na segunda-feira, um helicóptero Apache caiu ao sul de Bagdá e as autoridades iraquianas disseram que ele foi abatido por um agricultor. Veja o especial :

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.