EUA devolvem controle de prisão ao Afeganistão

O exército dos Estados Unidos devolveu nesta segunda-feira ao Afeganistão a responsabilidade sobre a última penitenciária que ainda controlava no país centro-asiático.

AE, Agência Estado

25 de março de 2013 | 13h05

A devolução do controle do Centro de Detenção de Parwan ocorre um ano depois de Washington e Cabul terem chegado a um acordo inicial sobre a transferência e coincide com a chegada do secretário de Estado dos EUA, John Kerry, para uma visita-surpresa ao Afeganistão.

Ao mesmo tempo, o presidente afegão, Hamid Karzai, vinha pressionando pela devolução da responsabilidade sobre Parwan, onde há cerca de 3 mil detentos, como questão de soberania nacional.

O general Joseph Dunford, comandante norte-americano no Afeganistão, entregou simbolicamente o controle da carceragem em cerimônia realizada após a assinatura de um acordo com o ministro afegão da Defesa, Bismullah Khan Mohammadi.

"A transferência do centro de detenção é uma parte importante da transferência da responsabilidade pela segurança para as forças nacionais de segurança afegãs. Esta cerimônia mostra um Afeganistão cada vez mais confiante, capaz e soberano."

A entrega do controle da carceragem de Parwan encerra um capítulo sombrio da presença militar norte-americana no Afeganistão, em especial pelos abusos cometidos por soldados dos EUA na penitenciária de Bagram, cujas imagens correram o mundo e causaram indignação internacional.

A formalização ocorreu horas depois do desembarque de Kerry ao Afeganistão. A visita do chanceler norte-americano ocorre em um momento delicado nas relações bilaterais. Washington tem manifestado preocupação com um suposto antiamericanismo na retórica de Karzai, que além de ter exigido a devolução da penitenciária de Parwan, tem se queixado continuamente das mortes de civis inocentes em bombardeios realizados pela aviação norte-americana no Afeganistão. As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.