Angela Weiss / AFP
Angela Weiss / AFP

EUA distribuirão as primeiras vacinas 48 horas após aprovação

Governo americano pretende entregar 3 milhões de doses da farmacêutica Pfizer em todo o país após sua aprovação de emergência, que poderá ser dada na quinta-feira, 10

Redação, O Estado de S.Paulo

09 de dezembro de 2020 | 18h22

NOVA YORK - O governo dos Estados Unidos pretende distribuir 3 milhões de doses da vacina contra a covid-19 da farmacêutica Pfizer em todo o país 48 horas após sua aprovação de emergência, que poderá ser dada nesta quinta-feira, 10.

O general Gustave Perna, que está encarregado da operação logística para a distribuição da vacina no Pentágono, declarou em entrevista coletiva nesta quarta-feira que primeiro serão distribuídas 3 milhões de doses do imunizante em todo o país e 21 dias depois haverá um segundo lote.

O oficial militar encarregado da operação batizada de Warp Speed ("mais rápido que a luz") disse que entre 24 e 48 horas todo o país deverá ter acesso simultâneo à vacina da Pfizer, que pode obter autorização de emergência da Administração de Alimentos e Remédios (FDA) amanhã.

Perna destacou que os EUA estão preparados para distribuir e administrar as primeiras vacinas em todo o seu território às pessoas que foram identificadas como prioritárias. As doses serão alocadas a cada Estado para distribuição por seus governos. Os integrantes da operação Warp Speed também esperam envolver as farmácias e o setor privado de saúde para apoiar a campanha.

O secretário de Saúde, Alex Azar, enfatizou no mesmo apelo que a prioridade até agora tem sido garantir a eficácia e a segurança das vacinas candidatas. Até agora, a Pfizer e a Moderna solicitaram autorização de emergência.

"Estamos em circunstâncias únicas, mas no caso de autorização de emergência todos os dados e pedidos estatísticos são os mesmos para autorização total (dois meses de dados e uma amostra de mais de 30 mil voluntários)", esclareceu Azar.

A única diferença é a falta de dados de longo alcance, acrescentou o secretário, que afirmou ainda que os detalhes de fabricação também são necessários por vários meses.

A vacina da Pfizer é 95% eficaz, enquanto a da Moderna, até 100%. O pesquisador Moncef Slaoui, cientista chefe da Warp Speed, lembrou que há muita esperança para os outros imunizantes que eles financiaram, especialmente o da Johnson & Johnson, que está sendo testado em uma única dose, o que aceleraria a sua aplicação.

Com a perspectiva de aprovação antecipada pela FDA, o governador do Estado de Nova York, Andrew Cuomo, declarou em entrevista coletiva nesta quarta-feira que cerca de 170 mil doses poderiam chegar à região até o fim da semana.

Segundo ele, os primeiros a serem vacinados serão os idosos que vivem em asilos, seguidos por funcionários desses espaços e trabalhadores da área da saúde. 

Cuomo disse esperar que todo o pessoal sanitário de alto risco, como os trabalhadores de cuidados intensivos, recebam a primeira dose da vacina no fim da segunda semana de distribuição.

Ele detalhou que quando começar uma aplicação geral, será dada prioridade às comunidades mais vulneráveis de negros e latinos, que sofreram com taxas de mortalidade duas vezes maiores do que nos bairros brancos. Isto poderia acontecer no começo de fevereiro. "A equidade da vacina é primordial", disse Cuomo a jornalistas.

A FDA anunciou na terça-feira que a vacina Pfizer-BioNTech é segura e eficaz, o que aumenta as expectativas de que o regulador conceda a aprovação de emergência.

O Reino Unido começou a administrar a vacina na terça-feira, tornando-se o primeiro país ocidental a iniciar uma campanha de vacinação em massa contra a covid-19./EFE e AFP  

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.