EUA divulgam documentos sobre como fazer bomba atômica

O governo dos Estados Unidos tirou do ar um site que continha documentos apreendidos durante a Guerra do Iraque que poderiam ajudar na elaboração de uma bomba atômica.A informação foi revelada hoje pelo jornal The New York Times em sua edição desta sexta-feira.No mês de março, afirma a reportagem do diário, o governo dos EUA criou um site na internet para tornar público um vasto arquivo de documentos iraquianos capturados durante a guerra. A administração Bush teve tal iniciativa diante da pressão de republicanos do Congresso, que disseram esperar usar a internet para encontrar novas evidências sobre os perigos pré-guerra oferecidos por Saddam Hussein. Mas nas últimas semanas, o site publicou alguns documentos que experts dizem serem eles mesmos um perigo: relatos detalhados da pesquisa nuclear secreta iraquiana anteriores à Guerra do Golfo. Os documentos, segundo os experts, constituem um guia básico para a construção de uma bomba atômica. Na quinta-feira à noite, o governo desativou o site, após a New York Times perguntar sobre reclamações de experts em armas e funcionários do controle de armas do governo. Um porta-voz em no me de John Negroponte, direotr da Inteligência Nacional, disse que o acesso ao site havia sido suspenso devido à necessidade de "uma revisão para garantir que o seu conteúdo é apropriado para o acesso público".Membros da Agência Internacional de Energia Atômica, temendo que a informação poderia ajudar países como o Irã a desenvolver a bamba atômica, haviam protestado em sigilo ao embaixador americano na agência, segundo diplomatas europeus que falaram em condição de anonimato devido à delicadeza do tema. Um diplomata disse que os experts técnicos da agência "estavam chocados" com o que foi revelado na internet.Nesta sexta-feira, um porta-voz de Gregory L. Schulte, embaixador americano, negou que alguém da agência tivesse falado com Schulte sobre o site.Mas o ex-chefe de equipe da Casa Branca Andrew H. Card disse nesta sexta-feira que altos funcionários o haviam alertado contra a publicação das informações."John Negroponte nos alertou que nós não sabemos o que está nesses documentos, então estão sendo revelados com certo risco, e esse foi um alerta feito na primeira vez em que os documentos foram divulgados", disse Card no programa "Today", do canal ´NBC´, de acordo com a agência Associated Press.Os documentos, aproximadamente 12, contém gráfico, diagramas, equações e pequenas narrativas sobre a construção de bombas. Segundo experts nucleares que avaliaram os documentos, a informação que eles contém vai além do que está disponível na internet e em outros fóruns públicos, Por exemplo, os documentos dão informações detalhadas sobre como construir circuitos de acionamento de bombas nucleares e sobre como armar explosivos, assim como sobre as ogivas de bombas nucleares."Os EUA jogarem um fósforo nessa área inflamável é muita irresponsabilidade", disse A. Bryan Siebert, ex-diretor de classificação dos documentos confidenciais do Departamento Federal de Energia, que administra o programa de armas nucleares do país. "Há muitas coisas sobre armas nucleares que são secretas e que devem continuar assim".O governo já havia recebido alertas anteriores sobre o conteúdo disponível no site. No início do ano, quando o site começou a publicar os antigos documentos iraquianos sobre armas químicas, um membro do controle de armas da ONU conseguiu fazer com que fosse tirado do ar um relatório que dava informações sobre como fazer tabun e sarin, agentes que atuam no sistema nervoso, e matam causando falha respiratória.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.