EUA dizem ignorar se Saddam ainda está vivo

Em boa forma e aparentando tranqüilidade, o presidente do Iraque, Saddam Hussein, apareceu em uma mensagem de 20 minutos na TV iraquiana, dirigida às Forças Armadas e ao povo, e garantiu: "A vitória está próxima." Ele elogiou seus soldados e disse que os combatentes estão causando sofrimento ao inimigo. Também se referiu explicitamente a táticas adotadas pelos americanos e a combates nas imediações de Umm Qasr, no extremo sul do país, numa demonstração de que o discurso fora gravado recentemente.Ao elogiar seus comandantes, ele mencionou o general Khaled Saleh al-Hasimi, da 51ª Divisão, em Basra. A imprensa anglo-americana e agências de notícias haviam noticiado inicialmente que ele se rendera, mas Al-Hasimi deu uma entrevista à TV Al-Jazira negando a informação.No entanto, o serviço secreto americano pôs em dúvida a autenticidade da mensagem e continua sustentando que Saddam pode ter sido ferido ou morto no bombardeio que deu início à guerra, no dia 20. O governo britânico também fez ressalvas.Saddam usava uniforme militar e parecia em melhor forma do que na gravação exibida pela tevê horas depois de os EUA terem deslanchado a guerra ao Iraque, no dia 20, atacando o local em que ele estaria escondido.Ao dirigir-se especificamente aos habitantes de Basra, Bagdá, Mossul e outras cidades sob bombardeio, Saddam advertiu que o inimigo intensificará seus ataques aéreos à medida que suas tropas sofram baixas em terra. "Sejam pacientes. A vitória de Deus está por vir. Sejam tolerantes", acrescentou. "Os fiéis triunfarão. Nestes dias decisivos, o inimigo tratou de não usar mísseis e caças como o fez antes. Desta vez enviou sua infantaria. Esta vez veio para invadir e ocupar nossa terra."Fatos mencionados por ele hoje, como a referência a um general que comanda a resistência das tropas em Basra, seriam uma indicação de que o pronunciamento foi feito depois de iniciado o ataque ao país, mas, segundo fontes a rede de TV a cabo CNN, os serviços secretos dos EUA concluíram não haver nada na mensagem que prove ter sido gravada depois do bombardeio. Os agentes comentaram que o envolvimento de algumas unidades iraquianas contra forças dos EUA, ao qual Saddam se referiu, de fato não ocorreu. "Ele poderia ter comentado vários outros fatos para provar que está vivo e em controle do país, mas não o fez", disse um alto funcionário dos EUA."O que posso dizer agora é que essas imagens não eram ao vivo", disse o ministro britânico da Defesa, Geoff Hoon. "Sabemos que Saddam Hussein dedicou várias horas, recentemente, a gravar mensagens para TV. Temos de analisar um pouco mais o que ele disse para determinar se em realidade se trata de Saddam Hussein."O porta-voz da casa Branca, Ari Fleischer, também foi reticente. "Não sabemos quando foi gravado, quanto ser pode velha a gravação, nem se é nova", disse ele.Um ativista político libanês que se reuniu com Saddam no mês passado afirmou hoje em Beirute não ter dúvidas de que era ele. "É o seu sotaque, são suas palavras, é o seu discurso, seu estilo. É ele, sem dúvida", afirmou, em Beirute.Especialistas na política iraquiana, e nas estratégias de Saddam, observam que ele é bem informado sobre estratégias psicológicas em período de guerra e certamente sabia que sua aparição na TV reduziria as especulações sobre se havia sido ferido ou morto nos primeiros bombardeios. Por isso, pode ter gravado várias mensagens, com dizeres adequados a vários contextos. Mas eles também lembram que EUA e Grã-Bretanha podem estar fomentando rumores sobre a morte de Saddam para forçá-lo a sair de seu esconderijo. Experts militares dizem que os locais a que ele se feriu eram cenários de guerra óbvios, pois era sabido que as forças anglo-americanas iniciariam a invasão terrestre pelo sul e extremo norte.Veja o especial :

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.