EUA dizem levar a sério morte de civis em bombardeio no Afeganistão

Presidente afegão dá 'último aviso' a americanos após morte de 12 crianças e 2 mulheres.

BBC Brasil, BBC

29 de maio de 2011 | 15h33

Os Estados Unidos levam muito a sério a morte de civis no Afeganistão em operações da Otan, disse neste domingo o porta-voz da Casa Branca.

Os comentários foram resposta a declarações do presidente afegão, Hamid Karzai, que condenou o bombardeio que matou 14 civis, sendo 12 crianças e duas mulheres, no sul do país.

"O presidente Karzai expressou em várias oportunidades preocupação com vítimas civis. Estas são preocupações que compartilhamos e levamos muito a sério", disse o porta-voz Jay Carney.

Pouco antes no domingo, o escritório de Karzai havia emitido um comunicado no qual classificava o ocorrido "um grande erro" e "em nome do povo afegão, o presidente dá este último aviso para as tropas e comandantes dos Estados Unidos".

O ataque

O ataque, na província de Helmand, no sudoeste do Afeganistão, tinha insurgentes como alvo, mas acabou atingindo duas casas de civis, de acordo com relatos.

O bombardeio ocorreu depois que uma base dos fuzileiros navais americanos foi atacada no sábado.

Um grupo de pessoas do vilarejo de Sera Cala viajou até a capital de Helmand, Lashkar Gah, levando consigo os corpos de oito crianças, a mais nova com dois anos de idade, segundo informa o correspondente da BBC em Cabul Quentin Sommerville.

"Veja, eles não são do Talebã", bradavam as pessoas enquanto mostravam os corpos a jornalistas locais, levando-os à sede do governo.

Mais cedo, um soldado da coalizão ocidental foi morto em uma batalha com insurgentes na mesma área, o que levou a Otan a realizar o bombardeio, disse um porta-voz da missão internacional no Afeganistão.

Enquanto os grupos rebeldes islâmicos são responsáveis pela maioria das mortes de civis no Afeganistão, as mortes de afegãos por parte de soldados estrangeiros é uma fonte cada vez maior de ódio, diz o correspondente da BBC.

Mortes por engano

Na quarta-feira, 20 policiais afegãos e 18 civis foram mortos em um ataque aéreo da Otan no Nuristão, nordeste do país, no qual cerca de 30 combatentes do Talebã também foram mortos, segundo disse neste domingo à agência AFP o governador da província.

Os policiais e os civis foram mortos depois de serem confundidos com militantes, disse o governador. O Nuristão foi palco de intensas batalhas entre o Talebã e as forças de segurança afegãs na semana passada.

Já no norte do país, medidas de segurança foram tomadas para o funeral do general Mohammad Daud Daud, comandante da polícia para o norte do Afeganistão, morto neste sábado em um atentado suicida contra a sede do governo da província de Takhar.

Daub é uma das sete pessoas mortas no ataque assumido pelo Talebã. O general é o mais alto integrantes do governo afegão morto pelo grupo insurgente este ano.

O local do funeral não foi divulgado por razões de segurança.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.