EUA dizem que Coreia do Norte recusou sua ajuda alimentar

ONU estima que um terço da população do país sofra com falta de comida.

BBC Brasil, BBC

18 de março de 2009 | 09h30

Os Estados Unidos afirmaram que a Coreia do Norte se recusou a aceitar suprimentos americanos de ajuda humanitária sem dar explicações.

"Obviamente nós estamos desapontados", disse o porta-voz do Departamento de Estado, Robert Wood. "É claro que o povo norte-coreano precisa desta ajuda alimentar. É por isto que estamos preocupados."

O governo da Coreia do Norte ordenou ainda que cinco ONGs que distribuem alimentos deixem o país até o final de março. Anteriormente elas tinham autorização para ficar no país até junho.

"Pelo que nós sabemos, eles não deram nenhuma razão para isso", disse Joy Portella, porta-voz da organização Mercy Corps. "Nós estávamos muito felizes com o programa (de ajuda) e certamente estamos muito desapontados."

Um acordo fechado em junho do ano passado previa que os Estados Unidos distribuiriam 500 mil toneladas de alimentos na Coreia do Norte - 400 mil através do Programa Mundial de Alimentos das Nações Unidas (WFP, na sigla em inglês), e o restante através das ONGs (World Vision, Global Resource Services, Samaritan's Purse, Mercy Corps e Christian Friends of Korea).

O WFP estima que quase 9 milhões de pessoas - mais de um terço da população norte-coreana - precisem de ajuda alimentar.

A recusa norte-coreana em aceitar alimentos é anunciada em um momento em que a Coreia do Norte rejeita pedidos internacionais para suspender seus planos de lançar um satélite, no período entre 4 e 8 de abril.

Os Estados Unidos dizem que o lançamento pode ser um pretexto para testar tecnologia de mísseis de longo alcance.

Recentemente o governo da Coreia do Norte colocou seu Exército em estado de alerta e fechou a fronteira com a Coreia do Sul, alegando que esta era uma retaliação a exercícios militares anuais conjuntos realizados por forças americanas e sul-coreanas.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.