EUA dizem que Cuba não coopera na luta antiterror

"Não temos visto uma boa cooperação de Cuba sobre o terrorismo", afirmou hoje a chefe do Escritório de Interesses dos EUA em Havana, Vicki Huddleston. A diplomata - que, pela primeira vez, recebe instruções do governo para ser citada em declarações à imprensa cubana - disse, entretanto, que os EUA estão "agradecidos" pelo fato de o governo cubano não ter criticado a decisão de enviar os prisioneiros talebans e membros da Al-Qaeda à base de Guantánamo. Por outro lado, Huddleston destacou que "ainda vivem em Cuba integrantes da (organização separatista basca) ETA e outros terroristas". Referiu-se também aos "macheteros" de Porto Rico, que atuaram violentamente nas décadas de 60 e 70 pela independência da ilha (que é território administrado dos EUA), e aos "Panteras Negras", além de identificar "outros foragidos da Justiça" norte-americana. Segundo cálculos de Huddleston, são "cerca de 70 os terroristas que permanecem em Cuba e, se (os cubanos) querem cooperar realmente, devem expulsá-los de Cuba", indicou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.