EUA dizem que Iraque estava ameaçando

O Pentágono informou há pouco que o objetivo dos ataques dos EUA e do Reino Unido às posições da defesa aérea do Iraque ao sul de Bagdá foi destruir sistemas de radares que "ameaçavam" aviões norte-americanos e britânicos que atuam na região. Ainda não há dados disponíveis sobre mortos e feridos deixados pelo ataque. Todos os aviões que participaram da missão voltaram com segurança a suas bases, disse o porta-voz do Pentágono. Ele acrescentou que foram usadas bombas "standoff", que localizam o alvo algum tempo depois de lançadas, o que aumenta a segurança dos pilotos.O ataque aconteceu entre 15h30 e 16h (de Brasília). Já era noite em Bagdá e o sistema de defesa aérea da capital iraquiana foi acionado, com sirenes tocando e disparos de artilharia antiaérea. Alguns dos alvos atacados situavam-se ao norte do Paralelo 33º, que define a "zona de exclusão" no sul do Iraque onde a Força Aérea iraquiana não pode operar desde o fim da Guerra do Golfo, em 1991.É a primeira vez desde dezembro de 1998 que os EUA atacam locais iraquianos fora da "zona de exclusão". As informações sobre o ataque foram divulgadas minutos depois do fechamento do mercado futuro de petróleo de Nova York.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.