EUA dizem que Paquistão deve realizar eleições e decidir data

A administração George W. Bush afirmouneste domingo que o Paquistão deve seguir no caminho para arealização de eleições, mas se negou a pressionar Islamabad amanter a data do pleito marcado para 8 de janeiro. Com o assassinato da líder de oposição Benazir Bhutto,quinta-feira passada, surgiram dúvidas sobre a realização dopleito na data prevista, embora integrantes da oposição tenhamafirmado neste domingo que participarão das eleições. "Acreditamos que é importante para o Paquistão lutar contraextremistas e continuar no caminho da democracia, realizandoeleições livre e transparentes", afirmou o porta-voz da CasaBranca, Scott, Stanzel, em um comunicado. "A data para essas eleições deve ser definida pelospróprios paquistaneses", afirmou Stanzel, no Texas, onde opresidente Bush passa o final de semana prolongado. Os EUA e os seus aliados ocidentais estão pressionando opresidente do Paquistão, Pervez Musharraf, para que realizeeleições, acreditando que isso trará estabilidade ao país. O Departamento de Estado dos EUA foi além do porta-voz daCasa Branca, dizendo que, se as eleições forem adiadas, oPaquistão deveria anunciar a nova data. Bhutto morreu durante um ataque suicida quando realizavacampanha eleitoral. (Por Jeremy Pelofsky)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.