EUA e Austrália usarão robôs em zonas urbanas de guerra

Objetivo é diminuir necessidade da presença de tropas; projeto será escolhido por concurso

Efe

14 de julho de 2009 | 03h57

Os departamentos de defesa da Austrália e dos Estados Unidos usarão robôs para empregar menos tropas em zonas urbanas de guerra, informaram fontes militares australianas, na manhã desta terça-feira, 14.

 

Ambos os países convocaram para esta finalidade um concurso para avaliar propostas - denominado Magic 2010 (sigla em inglês para Desafio Internacional Robótico Multiautônomo), cujas regras serão reveladas no fim deste mês, segundo afirmou às agências internacionais um porta-voz do Departamento de Defesa da Austrália, em Sidney.

 

O objetivo, completou a fonte, é conseguir um robô que possa comunicar-se e trabalhar em equipe, em situações de violência urbana ou de emergência, como por exemplo, incêndios florestais.

 

A agenda do projeto prevê que em novembro se fará uma pré-seleção de cinco propostas, das quais sairão três finalistas. O vencedor receberá um prêmio de US$ 750 mil (cerca de RS 1,5 milhão) e será conhecido durante uma conferência sobre guerras terrestres, a ser realizada em Brisbane, também na Austrália.

Tudo o que sabemos sobre:
AustráliaEUAguerraarmamentos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.