EUA e Colômbia podem fechar acordo sexta, diz ministro

O acordo de cooperação militar entre os Estados Unidos e a Colômbia poderá ser assinado na sexta-feira, anunciou hoje o ministro de Defesa colombiano, Gabriel Silva. Pelo pacto, os Estados Unidos poderão utilizar até sete instalações militares colombianas, com o objetivo de combater o narcotráfico e grupos insurgentes.

AE-AP, Agencia Estado

27 de outubro de 2009 | 18h27

O acordo será assinado em Bogotá, disse Silva em coletiva de imprensa em Washington, onde negocia com altos funcionários do governo Barack Obama. Mas o ministro disse não saber que representante norte-americano vai assinar o documento.

A Colômbia vai receber US$ 40 milhões como assistência adicional com a assinatura do pacto, acrescentou o ministro durante a entrevista coletiva realizada na residência da embaixadora colombiana em Washington. O ministro afirmou que as autoridades colombianas seguiram um processo cuidadoso de negociação do acordo, que tem causado polêmica na região.

A utilização das bases foi questionada pela Venezuela e por outros governo de esquerda, que consideram a medida um ato de ingerência de Washington na região. O governo norte-americano afirma que não se trata da instalação de novas bases, mas sim de atualizar o acordo de cooperação militar que os dois países mantêm há anos.

Sobre a recente declaração do presidente da Venezuela, Hugo Chávez, que o chamou de "retardado mental", o ministro colombiano disse que se lembrou de sua avó, que costumava afirmar que "alguns insultos enaltecem".

Tudo o que sabemos sobre:
EUAColômbiabases militaresacordo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.