EUA e Coréia do Norte deixam porta aberta para novas negociações

A cúpula de seis países sobre o programa nuclear norte-coreano terminou nesta sexta-feira em Pequim com o único resultado esperado: um compromisso de prosseguir com as negociações, apesar de Pyongyang ter ameaçado testar uma bomba atômica. As tensões prevaleceram entre os EUA e a Coréia do Norte no final do encontro. Pyongyang utilizou a estratégia - que tem carcaterizado o Norte nos últimos anos - de deixar que a situação degenere, e também ameaçou detonar um artefato nuclear; mas, ao mesmo tempo, ainda que de forma indireta, indicou que não se negará a chegar a um compromisso. E a China disse que as seis nações concordaram em ?não piorar a situação? enquanto o diálogo continuar. ?A Coréia do Norte e os EUA deveriam manifestar com clareza sua disposição de eliminar as preocupações bilaterais?, indicou nesta sexta-feira a agência oficial de notícias norte-coreana.Usando a sigla da República Democrática Popular da Coréia, a agência disse que ?a RDPC deixará clara sua disposição de desmantelar seu programa nuclear se os EUA esclarecerem sua vontade de renunciar a sua política hostil?. Os participantes do encontro em Pequim estão de acordo todos eles desejam uma solução pacífica para o problema e que querem dissipar as preocupações da Coréia do Norte com sua própria segurança, declararam a China e a Coréia do Sul. Continua pendente a decisão sobre o lugar e a data em que serão realizadas as próximas conversações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.