EUA e Coréia do Norte iniciam exercícios militares anuais

Forças sul-coreanas e norte-americanas iniciaram nesta segunda-feira, 21, seus exercícios militares anuais em conjunto. A maioria são exercícios simulados por computador que a Coréia do Norte classificou como um ensaio para uma invasão e exigiu seu fim imediato.O exercício acontece em meio a novas preocupações sobre a Coréia do Norte após uma notícia publicada na semana passada que afirmava que o país comunista poderia estar preparado para executar seu primeiro teste com uma bomba nuclear. Ainda no mês passado, o país testou sete mísseis, incluindo um de longo alcance, o qual, acredita-se, é capaz de atingir os Estados Unidos. Cerca de 17 mil soldados, incluindo 10 mil americanos, participam do exercício, que vem sendo praticado todos os anos desde 1975, informou o porta-voz das Forças Armadas norte-americanas David Oten. "Isto (o treino) é defensivo, não uma provocação", disse Oten.Segundo o militar, o exercício, que vai até 1º de setembro, "foi desenvolvido para treinar, avaliar e melhorar procedimentos combinados e planos que são importantes para a defesa da península (coreana)". Porém, a Coréia do Norte reagiu negativamente ao chamar os exercícios de uma provocação militar imperdoável e equivalente a uma declaração de guerra contra a nação comunista e ao jurar responder severamente, informou a agência de notícias sul-coreana Yonhap.Mesmo os Estados Unidos repetidamente garantirem que não têm intenção de provocar a Coréia do Norte com os exercícios, Pyongyang acusa os norte-americanos de estarem empenhados em invadir sua nação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.