EUA e Coreia do Sul anunciam exercícios militares

Os Estados Unidos e a Coreia do Sul anunciaram nesta quinta-feira planos de realizar grandes exercícios militares conjuntos anualmente. O comunicado foi feito em meio ao aumento das tensões regionais desencadeado pelo terceiro teste nuclear da Coreia do Norte.

AE, Agência Estado

21 de fevereiro de 2013 | 10h38

Um exercício de treinamento conjunto em terra, ar e mar conhecido como Foal Eagle será realizado do dia 1 de março até 30 de abril. Separadamente, as tropas americanas e sul-coreanas realizarão um exercício simulado por computador chamado de Key Resolve entre 11 e 21 de março.

Pyongyang habitualmente denuncia os exercícios conjuntos como um ensaio para a invasão.

Seul e Washington insistem que as manobras são de natureza defensiva. "Os exercícios são projetados para aumentar a segurança e a prontidão da (Coreia do Sul) e são de natureza defensiva", disseram em um comunicado.

O Foal Eagle contará com cerca de 10.000 soldados norte-americanos, juntamente com um número muito maior de militares sul-coreanas. A operação Key Resolve envolve cerca de 3.500 soldados dos EUA e 10 mil sul-coreanos.

A Coreia do Sul tem sido palco de uma série de exercícios militares em separado ou em conjunto com os Estados Unidos desde que o seu vizinho do Norte lançou um foguete de longo alcance em dezembro.

No início deste mês Seul e Washington realizaram um exercício naval conjunto com um submarino nuclear dos EUA perto da costa leste da Coreia do Sul, seguido por um exercício conjunto da força aérea.

Pyongyang insiste que o lançamento realizado em dezembro tinha como objetivo colocar um satélite em órbita para pesquisa, mas críticos disseram o lançamento resultou em um teste proibido de mísseis balísticos, o que marcou um grande avanço para o programa de armas nucleares do Estado comunista. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Coreia do SulEUAnuclear

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.