EUA e Coreia do Sul elevam nível de alerta e ONU prepara sanções

Conselho de Segurança da ONU já teria esboço de resolução que ampliaria punições contra a Coreia do Norte

Reuters e AP, SEUL, O Estadao de S.Paulo

29 de maio de 2009 | 00h00

Os Exércitos da Coreia do Sul e dos EUA elevaram ontem seunível de alerta para o grau mais alto desde 2006, quando a Coreiado Norte realizou seu primeiro teste nuclear. Na escalaque vai ate 5 . sendo 1 o grau mais elevado . o alerta passouontem de 3 para 2. A decisão foi tomada dois dias depois de a Coreia do Norte ter realizado seu segundo teste nuclear e um dia após Pyongyangter declarado ''inválido'' o armistício de 1953, que interrompeu os combates da Guerra da Coreia, um dos primeiros conflitos da Guerra Fria. A tensão entre as duas Coreias aumentou ainda mais na terça-feira quando Seul decidiu aderir a Iniciativa de Segurança contra Proliferação (PSI, na sigla em inglês), um programa liderado pelos EUA que prevê a vistoria de navios suspeitos de transportar armas de destruição em massa.Em resposta, Pyongyang anunciou que atacara navios sul-coreanos que tentarem interceptar suas embarcações e ameaçou um ataque militar a Coreia do Sul .Uma autoridade do Estado-Maior sul-coreano, que não quis se identificar, confirmou a Associated Press que Seul reforçou o numero de soldados e armamento ao longo de sua fronteira terrestre e marítima. A Coreia do Sul enviou um destroier de 3,5 mil toneladas eoutros pequenos navios para o litoral oeste da península, pertoda fronteira marítima entre os dois países. O jornal sul-coreanode maior circulação, Joong Ang Ilbo, afirmou que Seul posicionou também mísseis e artilharia antiaérea em suas basesmilitares em ilhas próximas a Coreia do Norte.SANÇÕESO governo de Pyongyang afirmou estar se preparando para um ataque liderado pelos EUA. Segundo a agencia de noticias sul-coreana Yonhap, o regime comunista posicionou canhões de artilharia na costa oeste. Os EUA tem 28,5 mil soldados na Coreia do Sul e outros50 Mil no Japão.''Uma pequena escaramuça acidental poderia levara uma guerra nuclear'', alertou o Rodong Sinmun, principaljornal norte-coreano.A Casa Branca, contudo, nega que esteja preparando uma ação militar. A Forca Aérea dos EUA informou que enviara nospróximos dias 12 cacas F-22 Raptor a sua base de Okinawa, no Japão. Um porta-voz do Pentágono disse, no entanto, que amanobra já estava decidida antes do teste norte-coreano.Diplomatas ocidentais disseram ontem que a Coreia do Norte enfrentara novas sanções da ONU por ter violado a proibição de testes. As grandes potencias já teriam chegado a um acordo preliminar sobre o tema, que deve ser votado na semana que vem pelo Conselho de Segurança.A expectativa e a de que a ONU torne mais rígidas as medidas já em vigor. As novas sanções incluiriam um embargo mais amplo de armas,o congelamento de fundos no exterior de empresas e funcionários norte-coreanos e restrições as operações bancarias e financeirasda Coreia do Norte. Os EUA querem também mais liberdade para inspecionar cargas que entram e saem de barco na Coreia do Norte, mas a China estariarelutante. RESOLUÇÃOUm esboço de resolução elaborado por Japão e EUA, que circulou ontem entre os principais membros do Conselho de Segurança, condena veementemente o teste nuclear e pede aos países membrosda ONU que cumpram as sanções já aprovadas contra Pyongyang.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.