EUA e Cuba não se entendem quanto a indenizações

O governo dos EUA reiterou, nesta quinta-feira, sua recusa a uma proposta de Cuba, de compensar os cidadãos americanos cujos bens foram confiscados após a revolução de 1959. O governo americano afirma que tal proposta não pode ser condicionada à suspensão do embargo contra Havana.Um funcionário do governo dos EUA, citado pela imprensa local, disse que Washington insiste em que o direito à compensação pelos bens expropriados é garantido "pelas leis internacionais".A proposta cubana foi renovada nesta semana pelo chanceler de Havana, Felipe Pérez Roque, durante entrevista, na sede das Nações Unidas. Segundo assinalou a imprensa americana, Cuba nunca rejeitou os pedidos de compensação pelos bens expropriados, desde que, em troca, o governo dos EUA suspendesse o embargo de quase quatro décadas e indenizasse a ilha com o pagamento de US$ 181 bilhões. Este pagamento corresponderia aos danos econômicos que, segundo Havana, foram provocados pelo embargo americano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.