EUA e Europa pedem solução política para crise na Líbia

A embaixada dos Estados Unidos e missões diplomáticas europeias em Trípoli têm manifestado preocupação com a escalada da violência na Líbia após o general desertor Khalifa Hifter invadir o parlamento e declarar uma ofensiva contra as milícias e parlamentares islâmicos.

AE, Agência Estado

23 Maio 2014 | 11h53

Os EUA, além de União Europeia, França, Alemanha, Itália e Reino Unido, pediram uma solução política para o confronto em um comunicado conjunto publicado nesta sexta-feira no site da embaixada dos EUA na Líbia.

O texto diz que todos os lados devem resolver suas "diferenças por meios políticos" e "devem se abster do uso da força". As nações pediram ainda que a Líbia realize eleições parlamentares "o mais breve possível".

A ofensiva de Hifter tem atraído apoio de altos funcionários, oficiais militares e algumas tropas, o que mergulhou a Líbia em uma das suas mais sérias crises desde a derrubada do poder de Muamar Kadafi, o ditador que foi deposto e posteriormente assassinado em 2011. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Líbia EUA Europa crise

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.