EUA e governo iraquiano tentam monstrar sintonia

O embaixador americano e o primeiro-ministro iraquiano fizeram um raro pronunciamento conjunto nesta sexta-feira, no qual o Iraque anunciou seu comprometimento com um relacionamento "forte e bom" com os Estados Unidos. Realizada a menos de duas semanas das eleições legislativas americanas, a manobra foi amplamente vista como uma tentativa de dissipar as especulações de que as ligações entre os dois países estão se deteriorando. O anúncio acontece em um dos meses mais sangrentos para as forças americanas no Iraque desde o início da guerra, em 2003. Nesta sexta-feira, um militar americano foi morto na província de Diyala, elevando para 97 o número de baixas no país em outubro. Nas últimas duas semanas, o presidente americano, George W. Bush, participou de várias reuniões com membros de alto escalão militar para encontrar maneiras de "ajustar" suas políticas no Iraque. A crescente violência e o grande número de americanos mortos no Iraque têm levado o eleitor americano a preferir os candidatos democratas para as eleições congressuais de 7 de novembro.A peça central da nova estratégia da administração - a criação de um cronograma de estabilização para sanar a violência no país - foi anunciada pelo embaixador americano no Iraque, Zalmay Khalilzad, na última terça-feira. Quando fez o anúncio, Khalilzad disse que o primeiro-ministro iraquiano, Nouri al-Maliki, e seu governo de maioria xiita concordaram com o plano.Mas nos dois dias seguintes, Maliki declarou que via a imposição de prazos como um atentado contra a soberania iraquiana. Segundo o premier, o cronograma era um produto da disputa eleitoral nos Estados Unidos. "Estou certo de que não se trata da política oficial do governo americano, mas um resultado da corrida eleitoral. (Por isso), não estamos muito preocupados", disse ele.A declaração de boas relações desta sexta-feira foi distribuída em inglês e em árabe após uma reunião não anunciada entre Khalilzad e Maliki. Ela diz que o "governo do Iraque deixou claro que pontos deverão ser resolvidos com um cronograma".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.