EUA e Grã-Bretanha ofereceriam exílio a Saddam, diz jornal

Os EUA e a Grã-Bretanha darão ao presidente iraquiano Saddam Hussein 48 horas para que deixe o país depois que o Conselho de Segurança das Nações Unidas emita uma nova resolução autorizando o uso de força no Iraque, informou neste domingo o jornal britânico Sunday Telegraph, com base em declarações atribuídas a altos funcionários do governo dos EUA. De acordo com essa versão, um ataque militar só ocorreria ao fim desse prazo.Autoridades norte-americanas já declararam que o exílio de Saddam - além de seus filhos e de altos oficiais de seu Exército - para evitar uma guerra seria bem-vindo. Nesse caso, os norte-americanos se comprometem a não perseguir Saddam. O jornal acrescenta que a Arábia Saudita estaria disposta a dar asilo a Saddam, caso o ditador decida-se pelo exílio.No entanto, membros do governo iraquiano têm qualificado de "ridículas" as versões segundo as quais Saddam está disposto a discutir sua saída do país. No gabinete do primeiro-ministro Tony Blair, funcionários britânicos declararam que a informação do jornal não passava de "especulação prematura".De todo modo, a movimentação diplomática entre os líderes árabes para encontrar uma fórmula de retirar Saddam do poder existe e é intensa, segundo funcionários governamentais desses governos. De acordo com uma dessas fontes, os EUA estão "irritados" com a "falta de agressividade" de seus aliados árabes nas ações visando a uma mudança de regime no Iraque.Durante uma entrevista coletiva na semana passada, o príncipe Saud, da Arábia Saudita, disse que era necessário que se concedesse aos países árabes "uma última oportunidade de intervir no Iraque". "A Arábia Saudita solicitou a outros países islâmicos que fazem fronteira com o Iraque que se somem a essa iniciativa para garantir seu êxito", afirmou uma fonte saudita. Uma reunião extraordinária de representantes árabes foi convocada para o Cairo, no próximo domingo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.