EUA e Grã-Bretanha recomendam que seus cidadãos deixem a Venezuela

Os EUA e a Grã-Bretanha determinaram hoje que seu pessoal diplomático não-essencial e suas famílias deixem imediatamente a Venezuela, alertando que há possibilidade de violência por causa da crise política no país. Washington e Londres também pediram que os turistas americanos e britânicos saiam da Venezuela.Na madrugada de hoje, militares venezuelanos abordaram o emblemático navio petroleiro Pilín León, cuja tripulação aderiuà greve contra o presidente Hugo Chávez, e detiveram o capitãoda embarcação, Daniel Alfaro, e parte dos tripulantes, denuncioua oposição. O governo ordenou a abordagem militar com base nadecisão tomada na quinta-feira pelo Tribunal Supremo, que exigiuo retorno dos funcionários da petrolífera estatal, a PDVSA, aotrabalho.As forças da oposição na Venezuela prosseguiram hoje com seus protestos exigindo a renúncia do presidente, enquanto esperavam a reação dos chavistas ao chamado feito para marchar juntos até o palácio presidencial de Miraflores.Após 20 dias de greve geral e 18 de paralisação na PDVSA a oposição tenta atrair chavistas para seu movimento. O presidente da Confederação de Trabalhadores da Venezuela (CTV) e líder da oposição, Carlos Ortega, convocou os simpatizantes do presidente Chávez a "refletir" e a "unir-se" na exigência de renúncia ou eleições antecipadas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.