EUA e Grã-Bretanha têm diferenças sobre guerra

O chefe das Forças Armadas britânicas Michael Boyce, admitiu hoje que existem algumas diferenças entre os governos dos Estados Unidos e da Grã-Bretanha sobre o desenvolvimento da guerra no Afeganistão. Boyce declarou que a política de "corações e mentes" da Grã-Bretanha para com o Afeganistão difere da determinação americana de apenas destruir o Taleban e a rede terrorista Al-Qaeda. "O terrorismo só será vencido se conquistarmos os corações e as mentes das pessoas envolvidas nessas atividades", afirmou. Segundo Boyce, os aliados em breve deverão fazer uma "escolha estratégica" sobre a direção da campanha militar. "Teremos que decidir se estenderemos a guerra ou se faremos um longo compromisso com o Afeganistão", afirmou Boyce durante uma audiência no Instituto Real de Serviços Unidos, especializado em segurança.O chefe das Forças Armadas britânicas disse também que uma simples vitória sobre os talebans não representará o final da guerra. "Devemos focalizar o inimigo em lugar de mostrar interesse nas vitórias sobre o terreno", afirmou Boyce, acrescentando que a Al-Qaeda ainda é capaz de organizar mais ataques terroristas. Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.