EUA e Grã-Bretanha voltam a fazer ataque aéreo ao Iraque

Aviões militares dos EUA e do Reino Unido atacaram instalações de comunicações da defesa antiaérea iraquiana, no sul do país. De acordo com o Comando Central dos EUA, os ataques aconteceram hoje às 13h locais (7h de Brasília), depois de a artilharia antiaérea iraquiana disparar contra aviões da coalizão anti-Iraque que patrulhavam a "zona de exclusão aérea" no sul do país. As instalações bombardeadas ficavam entre as cidades de Al Kut (150 km a sudeste de Bagdá) e Al Basrah (360 km a sudeste da capital) e em An Nasiriyah (230 km a sudeste de Bagdá)."Zonas de exclusão aérea" são regiões no sul e no norte do Iraque em que a Força Aérea iraquiana não tem permissão de operar desde a Guerra do Golfo, de 1991; o objetivo declarado da proibição é impedir que o regime iraquiano reprima as populações xiita (no sul) e curda (no norte).Em Bagdá, a agência de notícias governamental INA disse que duas pessoas morreram e 13 ficaram feridas no bombardeio de aviões da coalizão contra "instalações civis" na região de Al Amarah (270 km a sudeste de Bagdá), na segunda-feira à noite. Segundo o Comando Central dos EUA, porém, as instalações atacadas eram da defesa antiaérea iraquiana.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.