EUA: é improvável que Al-Qaeda 'sequestre' levante líbio

É altamente improvável que a Al-Qaeda consiga "sequestrar" o levante na Líbia contra o governo de Muamar Kadafi, afirmou hoje o Secretário de Defesa dos Estados Unidos, Robert Gates. Com os congressistas norte-americanos expressando preocupação sobre a potencial influência dos militantes islamitas entre as forças opositoras, Gates minimizou a ameaça representada pelo grupo ligado à Al-Qaeda na região, a Al-Qaeda no Magreb Islâmico.

AE, Agência Estado

31 Março 2011 | 17h26

"Eu acho que o futuro governo da Líbia vai trabalhar com as tribos principais", disse Gates ao Comitê de Serviços Armados da Câmara. "Eu acho pouco provável que algum grupo de fora ou algum elemento da Al-Qaeda no Magreb Islâmico seja capaz de sequestrar o movimento neste momento". Ele afirmou, porém, que os Estados Unidos ainda tentam saber mais sobre o exército rebelde, que segundo ele é composto por uma série de grupos "disparatados" com vários programas diferentes.

Gates falou sobre o assunto dois dias depois do principal comandante da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), almirante James Stavridis, ter dito que relatórios de inteligência mostraram a presença "não significativa" de possível influência da Al-Qaeda e do Hezbollah em meio à oposição líbia. Um porta-voz dos rebeldes líbios desmentiu a acusação ontem. As informações são da Dow Jones.

Mais conteúdo sobre:
LíbiaataquesEUAAl-Qaeda

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.