EUA e Iraque buscam seqüestrados em área xiita de Bagdá

Forças dos Estados Unidos e do Iraque atacaram um reduto de uma milícia xiita em Bagdá neste sábado, em busca de vítimas de um seqüestro em massa de um ministério. Os soldados iraquianos, apoiados por helicópteros dos EUA, entraram na área de Sadr City depois que forças da inteligência indicaram que um grupo armado estava mantendo reféns diversos iraquianos que foram seqüestrados de um edifício do Ministério da Educação em Bagdá na terça-feira, informou o Exército dos EUA. "Ninguém foi morto, ferido ou detido", disse o militar à Associated Press ao ser perguntado se as forças da coalização encontraram reféns durante a ação, que foi realizada para resgatar seqüestrados e desbaratar células rebeldes na área. Michael McClellan, porta-voz da embaixada dos EUA em Bagdá, por sua vez, disse que as forças da coalização continuam procurando no sul do Iraque os quatro americanos e um austríaco seqüestrados na quinta-feira quando seu comboio de veículos da Crescent Security Co foi atacado perto de Safwan, um cidade árabe com população de 200 mil pessoas predominantemente sunitas. O Companhias Islâmicas, um grupo anteriormente desconhecido, assumiu a responsabilidade pelo seqüestro, segundo uma estação iraniana de notícias por satélite em árabe. Segundo o informe, o grupo distribuiu um videocassete com uma mensagem afirmando que estão mantendo os cinco homens e pedindo a retirada das forças dos EUA do Iraque e a libertação de todos os prisioneiros no país. O secretário do Tesouro da Grã-Bretanha, Gordon Brown, que deve substituir o primeiro-ministro britânico Tony Blair como próximo líder do país, fez uma visita ao Iraque para se encontrar com autoridades iraquianas e soldados britânicos. Em entrevista à tevê Al-Jazira na sexta-feira, Blair disse que a guerra no Iraque tem sido difícil, mas que as forças britânicas continuarão no Iraque para combater os rebeldes e as milícias do país enquanto o governo do Iraque assim o desejar. Os militares dos EUA mataram 11 rebeldes e detiveram 24 suspeitos em ataques às cidades de Tikrit, Baqouba, Hit, Youssifiyah e Baghdad. O seqüestro em massa de terça-feira no Ministério da Educação em Bagdá está sendo atribuído ao Exército Mahdi, milícia pesadamente armada do clérigo xiita antiamericano Muqtada al-Sadr.

Agencia Estado,

18 Novembro 2006 | 13h14

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.