EUA e Israel dizem ter 'diferenças' sobre processo de paz

Encontro entre líderes reforça divergência sobre fronteiras para negociação com palestinos.

Alessandra Corrêa, BBC

20 de maio de 2011 | 15h45

O presidente americano, Barack Obama, e o primeiro-ministro de Israel, Binyamin Netanyahu, disseram nesta sexta-feira que têm "diferenças" a respeito do processo de paz no Oriente Médio.

Obama disse, porém, que essas diferenças são "entre amigos".

As declarações foram feitas após um encontro na Casa Branca, um dia depois de Obama ter dito, em um discurso, que um futuro Estado palestino deveria ser baseado nas fronteiras do cessar-fogo de 1967, com trocas acertadas de território que poderiam manter alguns dos maiores assentamentos sob controle israelense.

Netanyahu voltou a dizer que as fronteiras de 1967 são "indefensáveis", mas reafirmou que Israel quer a paz.

"Ao mesmo tempo que Israel está preparado para um generoso compromisso pela paz, não pode voltar às fronteiras de 1967, porque essas fronteiras são indefensáveis", disse o primeiro-ministro israelense.

Segundo Obama, os dois líderes discutiram as atuais mudanças em curso no Oriente Médio e no norte da África, onde muitos países registram manifestações pró-democracia.

Netanyahu fica em Washington até a semana que vem. A agenda do primeiro-ministro israelense inclui ainda um discurso ao Congresso americano.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.