EUA e Japão vão defender mundo livre de arma nuclear

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, e o primeiro-ministro do Japão, Yukio Hatoyama, pretendem divulgar declaração conjunta em defesa de um mundo livre de armas nucleares depois da reunião que terão amanhã em Tóquio, informou hoje a mídia local. Na declaração, provisoriamente intitulada "Iniciativa conjunta EUA/Japão por um mundo livre de armas nucleares", os dois líderes pretendem aproveitar o sentimento da comunidade internacional a favor da redução dos arsenais e da não-proliferação de armas, diz a edição de hoje do "Yomiuri".

AE, Agencia Estado

12 Novembro 2009 | 12h49

No esforço conjunto, os EUA procurariam enfatizar a simpatia pelo fim das armas nucleares enquanto o Japão passaria a mensagem a partir da perspectiva de único país do mundo a ter sido atacado com armas atômicas. Em 1945, no crepúsculo da Segunda Guerra Mundial, os EUA lançaram bombas atômicas sobre as cidades japoneses de Nagasaki e Hiroshima. A estimativa é que cerca de 220.000 pessoas tenham morrido em decorrência dos bombardeios. A maioria das vítimas era civil.

A declaração a ser divulgada amanhã tem como base uma resolução adotada em setembro pelo Conselho de Segurança (CS) da Organização das Nações Unidas (ONU) durante cúpula presidida por Obama, noticiou a agência Jiji Press. No documento, os dois países também pretendem pedir à Coreia do Norte que regresse imediata e incondicionalmente às negociações multilaterais em torno de seu programa nuclear bélico. Ao Irã, EUA e Japão pedirão que esclareça as suspeitas em torno de seu programa nuclear.

Obama deve desembarcar hoje no Japão para um giro de pouco mais de uma semana pela Ásia. Depois da passagem pelo Japão, o presidente norte-americano visitará Cingapura, China e Coreia do Sul. As informações são da Dow Jones.

Mais conteúdo sobre:
EUA Japão Obama Hatoyama armas nucleares

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.