EUA e Reino Unido prometem caçar autores de atentado

Os líderes de Defesa dos EUA e do Reino Unido prometeram neste sábado caçar os responsáveis pelos ataques terroristas na Argélia e os militantes islâmicos no norte do Mali. Em entrevista conjunta à imprensa com seu colega britânico, o secretário de Defesa americano, Leon Panetta, disse que nenhum grupo terrorista pode atacar os EUA e "escapar". "Assim como não podemos aceitar ataques terroristas contra nossas cidades, não podemos aceitar ataques contra nossos cidadãos e nossos interesses no exterior", afirmou Panetta. "Nem podemos aceitar redutos na Al-Qaeda em nenhum lugar do mundo."

RENAN CARREIRA, Agência Estado

19 de janeiro de 2013 | 15h25

Philip Hammond, o ministro de Defesa britânico, anunciou neste sábado que a crise dos reféns na Argélia havia terminado. "A situação dos reféns agora chegou ao fim por meio do ataque das forças da Argélia que resultou em mais perdas de vidas", afirmou. Da mesma forma que Panetta, Hammond prometeu perseguir aqueles que planejaram e executaram o atentado contra o campo de gás natural da Argélia. "Os líderes serão responsabilizados por suas ações", disse Hammond. "A força dos EUA, do Reino Unido e dos países africanos vai se abater sobre eles."

Os líderes de Defesa não deram detalhes sobre como a resposta deles vai ocorrer. Autoridades americanas disseram nos últimos dias que o ataque na Argélia talvez requeira um passo a mais na campanha de contenção do terrorismo contra grupos militantes na África, eventualmente com a inclusão de operações de forças especiais ou o aumento da vigilância com drones (aviões não tripulados). As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
ArgeliaataquesEUAReino Unido

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.