EUA e Rússia não avançam em debate sobre segurança

Moscou e Washington não estão perto de resolver suas desavenças sobre sistema de defesa de mísseis na Europa, tratados de controle de armas e outras questões importantes, disse hoje o vice-ministro de Relações Exteriores, Sergei Ryabkov. Falando horas depois do encontro de funcionários russos com uma delegação norte-americana, Ryabkov disse que o lado russo estava satisfeito com a atual rodada de conversações. "Nos momentos-chave, nós não conseguimos aproximar nossas visões dos problemas", disse ele. "Mas isso não estava fora das expectativas."Os Estados Unidos dizem que seus planos para a instalação de parte de um sistema de mísseis na Polônia e na República Checa têm como alvo o Irã. A Rússia acredita que a real intenção de Washington seja enfraquecer o poder de dissuasão nuclear de Moscou. A Rússia já está pressionando a administração do presidente eleito, Barack Obama, a desistir do sistema de defesa de mísseis e já ameaçou lançar mísseis nas proximidades da fronteira polonesa.Hoje também foram discutidos esforços para a negociação do Tratado de Redução de Armas Estratégicas (START, na sigla em inglês) de 1991, que inclui armamento nuclear e vence no próximo ano. John Rood, subsecretário de Estado em exercício para controle de armas e segurança internacional, que lidera a delegação norte-americana, concordou em manter conversações que ainda não trouxeram resultados, mas afirmou que elas são importantes para que o país saiba quais são as preocupações da Rússia. "É importante, sob a nossa perspectiva, que os Estados Unidos e a Rússia mantenham conversações sobre esses assuntos", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.