EUA e Rússia vão discutir defesa antimíssil

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, e o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, discutirão a possibilidade de os países cooperarem na questão da defesa contra mísseis de curto alcance. Os dois líderes devem se reunir durante as celebrações dos 300 anos de São Petersburgo, neste mês, disse o porta-voz da Chancelaria russa, Alexander Yakovenko.Falando à rede russa NTV, Yakovenko explicou que a defesa antimíssil será tratada no contexto do mais recente acordo de armas entre Rússia e EUA, que deve ser ratificado pelo legislativo russo antes da festa de São Petersburgo. O tratado, assinado em maio de 2002, pede que ambas as nações reduzam seus arsenais nucleares estratégicos em dois terços até 2012.O porta-voz disse que Washington e Moscou poderia cooperar na chamada Theater Missile Defense (TMD), segundo a agência russa Interfax. Sistemas TDM visariam mísseis de curto alcance (até 3.500 km).A Rússia se opôs à saída dos EUA do tratado ABM, que proibia a criação de sistemas nacionais de defesa antimíssil, como o que o governo americano quer construir, e que dariam conta de todos os tipos de mísseis, de longo e curto alcance. No início deste ano as críticas voltaram, com o ministro das Relações Exteriores Igor Ivanov dizendo que a Rússia estava ansiosa para cooperar com a Otan na criação de defesas contra mísseis de curto alcance. Yakovenko também disse hoje que Moscou está pressionando por um novo acordo na ONU proibindo armas no espaço. Yuri Koptev, chefe da agência espacial russa, disse que os EUA pretendem militarizar o espaço. ?No momento, estão sendo feitas tentativas de reanimar projetos para criar, depois de 2015 ou 2020, meios para proteger os grupos orbitais (de satélites) deles, e influenciar os grupos de um possível inimigo?, disse Koptev, segundo a agência ITAR-Tass. ?Isso é um fator desestabilizante?, ele teria dito, segundo a Interfax. ?Se tais programas forem desenvolvidos, nossos programas e doutrina terão de ser revistos?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.