REUTERS/Huseyin Aldemir
REUTERS/Huseyin Aldemir

EUA e Turquia anunciam cessar-fogo em operação contra curdos na Síria

Acordo foi negociado entre o vice-presidente Mike Pence e o presidente turco, Recep Erdogan.

Redação, O Estado de S.Paulo

17 de outubro de 2019 | 14h44
Atualizado 17 de outubro de 2019 | 16h13

ANCARA - Os Estados Unidos e a Turquia chegaram a um acordo nesta quinta-feira, 17, para um cessar-fogo na Síria. O acordo foi negociado entre o vice-presidente Mike Pence e o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan.

A pausa nas operações militares da Turquia contra milícias curdas no norte da Síria, que começaram na semana passada, terá a duração de cinco dias, segundo Pence. Esse é o prazo para as Forças Democráticas da Síria (SDF) e para as Unidades de Proteção Popular (YPG), ambas sob comando do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), saírem da chamada "zona segura" delimitada pela Turquia no nordeste da Síria. 

À imprensa, Pence disse que o cessar-fogo já começou e  a "retirada deliberada" das tropas também já está ocorrendo. A zona desmilitarizada na fronteira com a Turquia será de 32 quilômetros.

Para Entender

Com tensão no Oriente Médio, como ficará o futuro da Síria?

Conflito no norte sírio remodela antigas alianças a inicia nova fase da guerra que já dura oito anos

Por meio do Twitter, o presidente Donald Trump agradeceu a Pence e Erdogan pelo acordo.

A Turquia começou a atacar posições curdas na Síria depois de Trump ter ordenado a retirada de forças americanas da região. A decisão foi duramente criticada pelo Congresso americano e pelo próprio Partido Republicano.

Os curdos auxiliaram os EUA no combate ao Estado Islâmico, no complexo teatro de operações da Guerra Civil na Síria, que envolve ainda tropas leais a Bashar Assad, rebeldes sunitas e tropas russas. / AP e REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.