EUA elevam nível de alerta contra terrorismo

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, assinou hoje uma resolução que eleva o nível de alerta contra o terrorismo no país para o patamar de "alto risco", ou laranja, do patamar atual de "risco elevado", ou amarelo, de acordo com um membro do alto escalão do governo, que pediu anonimato. A fonte afirmou que a decisão de elevar o alerta contra o terrorismo deveu-se ao recebimento de informações novas sobre ameaças.A mesma autoridade informou que o alerta valerá para o país inteiro e não para uma região específica. Entre os fatores que teriam contribuído para a decisão de elevar o nível de alerta estão informações sobre pessoas que foram vistas vigiando embaixadas e fábricas norte-americanas no Sudoeste da Ásia.Uma autoridade afirmou que, embora as embaixadas no exterior tenham sido alvo de ameaças, a segurança não descarta a possibilidade de risco também aos edifícios dentro dos Estados Unidos. Por isto, a segurança em prédios do governo em Washington deve ser elevada a partir desta terça-feira. As embaixadas norte-americanas na Indonésia e Malásia foram fechadas hoje, por tempo indeterminado, por causa de potencial ameaça terrorista.O sistema de código por cores de alerta ao risco de ataque terrorista foi criado em março e desde então estava no amarelo, que indica condição elevada de alerta e risco significante de ataque terrorista. O código laranja, estabelecido hoje, é o segundo mais elevado, sugerindo grande risco de ataque terrorista.No atual nível laranja, os funcionários do governo devem: coordenar esforços de segurança necessários com as forças armadas ou agências responsáveis pela manutenção da lei; tomar medidas adicionais de precaução em eventos públicos; preparar-se para trabalhar em locais alternativos ou com sua equipe dispersa; e restringir o acesso a funcionários essenciais.Nesta manhã, a Marinha dos EUA alertou que navios petroleiros que estão nos golfos do Oriente Médio seriam alvos de possíveis ataques da rede terrorista Al-Qaeda. A informação era um dos fatores de sustentação dos preços do petróleo no início desta terça-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.