EUA elogiam compromisso do Exército egípcio com transição democrática

Militares divulgaram comunicado reafirmando que vão cumprir obrigações internacionais do país

estadão.com.br,

12 de fevereiro de 2011 | 19h51

WASHINGTON E CAIRO - O presidente americano, Barack Obama, elogiou o compromisso do Exército egípcio com a transição democrática e com as obrigações internacionais do país - entre as quais o acordo de paz de Camp David com Israel, manifestado em comunicado divulgado hoje.

Veja também:

especialPatriota diz que espera transição pacífica no Egito

especialOPINIÃO: A queda de Mubarak

especialInfográfico: A lenta agonia de Hosni Mubarak

blog Cronologia: O dia a dia da crise egípcia

video TV Estadão:  Alegria nas ruas do Cairo

blogArquivo: A Era Mubarak nas páginas do Estado

lista Perfil: 30 anos de um ditador no poder

De acordo com a Casa Branca, Obama discutiu a situação no Egito com o premiê britânico, David Cameron, o primeiro-ministro turco, Recep Tayyip Erdogan, e o rei Abdullah II, da Jordânia.

Segundo o documento dos militares, o Conselho Supremo das Forças Armadas pediu ao gabinete do ex-presidente Hosni Mubarak que continue administrando o país até que um governo de transição seja formado.

O Conselho proibiu a saída do país de autoridades do antigo governo sem sua autorização. Vários ex-ministros, incluindo o do Interior, Habib El-Adly, e membros do Partido Nacional Democrático estão sendo investigados por corrupção e abuso de autoridade.

Leia ainda:

link Premiê israelense elogia declaração do Egito sobre tratados

link Comando militar egípcio diz que respeitará tratados internacionais

linkIslamitas egípcios dizem que não buscam o poder

linkEgito investiga e proíbe viagem de ex-ministros, diz TV

Com AP e informações do enviado especial ao Cairo, Lourival Sant'Anna

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.