EUA elogiam passos democráticos do Irã

O Departamento de Estado considerou que existe uma democracia florescente no Irã, o que o diferencia do Iraque e da Coréia do Norte, os dois outros integrantes do "eixo do mal" do presidente George W. Bush.O Irã tem realizado eleições e permitido um certo nível de liberdade de expressão, e os Estados Unidos apóiam a tendência, afirmou o porta-voz do Departamento de Estado, Richard Boucher.Quando Bush rotulou os três países em janeiro de 2002, ele os acusou de desenvolverem armas de destruição em massa. O presidente agora está considerando lançar uma ação militar para desarmar o Iraque e uma ação diplomática para conter o programa de armas nucleares da Coréia do Norte.Na semana passada, numa entrevista ao Los Angeles Times, o subsecretário de Estado Richard Armitage disse que o Irã foi corretamente classificado como parte do eixo do mal, mas difere do Iraque e da Coréia do Norte na questão da democracia, e, portanto, deveria ser tratado de forma diferente.Armitage declinou de dizer se a administração Bush tinha um acordo com o Irã para o caso de uma guerra no Iraque. Ele admitiu, entretanto, que o Irã "fez algumas coisas boas na guerra contra o terrorismo". Mas, acrescentou, "eles fizeram outras coisas, e ainda existe alguns da Al-Qaeda no Irã".Questionado sobre as declarações de Armitage, Boucher considerou que "certamente no Irã existe mais florescimento democrático do que nos outros dois governos"."É claro que temos apoiado as aspirações democráticas do povo iraniano", afirmou."Eles realizaram eleições, eles têm tido alguma possibilidade de se expressar, e apoiamos muito esse tipo de aspirações do povo iraniano", disse Boucher. "Portanto, qualquer passo em direção à democracia... no Irã é algo que queremos apoiar".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.