EUA endossam escolha de Allawi para premier do Iraque

Iyad Allawi será o primeiro-ministro do governo que assumirá o Iraque a partir de 30 de junho e ?estamos encantados com a escolha?, disse uma alta autoridade do governo dos EUA. Allawi foi escolhido pelo Conselho de Governo iraquiano. O enviado especial da ONU para o país árabe, Lakhdar Brahimi, deve anunciar a composição do futuro gabinete nos próximos dias.?Ele será o primeiro-ministro quando o novo governo estiver montado, dentro de dois ou três dias?, disse a autoridade americana, que pediu para não ter o nome revelado. ?Acreditamos que será um bom primeiro-minstro. Estamos encantados com a escolha. Estamos encantados com suas qualidades e com o amplo apoio político que obviamente tem no país?.Iyad Allawi é um homem de confiança da CIA e do Departamento de Estado dos EUA. Ex-agente secreto do governo de Saddam Hussein e membro do Partido Baath (do ex-ditador iraquiano), Allawi, neurologista de 59 anos, filho de rica família de comerciantes xiitas, desentendeu-se com o governo iraquiano, abandonou o Baath e deixou o Iraque para um longo exílio, que começou no Líbano, em 1971, e terminou na Grã-Bretanha.Em 1978, já vivendo com a mulher em Londres, passou a colaborar com o MI5 e MI6 - serviços secretos britânicos. Isso levou Saddam a despachar uma equipe para assassiná-lo. Os agentes de Saddam invadiram a mansão de Allawi à noite, ferindo-o com gravidade. Ele só não foi morto porque seu sogro apareceu e os agressores fugiram.Politicamente ligado a Londres e Washington, tem amplos interesses comerciais no Kuwait e na Arábia Saudita. Em 1991, ajudou a fundar o Partido do Consenso Nacional Iraquiano - do qual é presidente - que reúne xiitas, sunitas e cristãos. Muitos são antigos filiados do Baath que decidiram passar para a oposição.Em 1996, esse partido fomentou um frustrado golpe contra Saddam, que resultou no fuzilamento de 30 oficiais e na prisão de outros 100. Allawi é um crítico da dissolução do Exército iraquiano - decisão que, na opinião dele, gerou um vazio de segurança. É parente de Ahmed Chalabi, ex-favorito do Pentágono para governar o Iraque, que caiu em desgraça nos EUA.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.