EUA enviam mais soldados e equipamentos às Filipinas

Aviões de cargas dos EUA transportaram mais soldados e aparelhos de comunicação ao sul das Filipinas, num momento em que aumentam os protestos locais contra a participação militar norte-americana na campanha contra extremistas muçulmanos ligados à rede terrorista Al-Qaeda. Três aviões de carga C-130 chegaram à base de Zamboanga, ao sul do país, com cerca de 20 soldados, um grande gerador de energia, equipes e material de construção e um contêiner carregado com aparelhos de comunicação. O capitão Noel Detoyato, porta-voz do Comando Sul, disse que os norte-americanos formam parte de um contingente que treinará as forças especiais filipinas que combatem o grupo guerrilheiro Abu Sayyaf na região de selva da ilha de Basilan. Os jornalistas receberam autorização para tirar fotografias, mas não puderam entrevistar os soldados norte-americanos, vestidos com uniforme de combate, mas sem armas visíveis. O aumento gradual da participação militar dos EUA em Zamboanga e Basilan, uma ilha montanhosa situada a cerca de 880 quilômetros ao sul de Manila, faz parte de manobras que deverão durar cerca de seis meses. Durante este período, esquadrões das forças especiais norte-americanas irão às zonas de combate para avaliar a atuação de seus colegas filipinos e suas necessidades.

Agencia Estado,

20 Janeiro 2002 | 14h16

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.