EUA enviam plutônio para a França

Plutônio do arsenal nuclear dos EUA - suficiente para fazer 20 bombas como a que destruiu Hiroshima - parte para a França a bordo de cargueiros para ser transformado em combustível que irá gerar eletricidade para as famílias americanas. Ambientalistas, porém, temem ataques terroristas, acidentes e o próprio combustível atômico, conhecido como MOX, e querem deter o carregamento.A tecnologia nuclear francesa é necessária para o cumprimento de um acordo de desarmamento firmado entre Estados Unidos e Rússia em 2000. O tratado prevê que cada país destrua 34 toneladas de plutônio militar. A parte americana do contrato vale cerca de US$ 300 milhões para a estatal francesa Areva, que começará transformando 140 kg de plutônio em MOX.O material embarcou para a França a partir de Charleston, EUA, em dois navios. Para os ativistas, há perigo a cada passo do caminho. Depois de ser descarregado no porto de Cherbourg, o plutônio terá de percorrer 1.000 km dentro da França até as fábricas onde será convertido em MOX, uma mistura de óxido de plutônio e óxido de urânio. Em 2005, o MOX voltará aos EUA para abastecer uma usina nuclear na Carolina do Sul.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.