EUA enviaram germes usados para produzir armas biológicas

O programa de armas biológicas do Iraque que o presidente George W. Bush quer erradicar teve início há duas décadas com a ajuda dos Estados Unidos, segundo registros do governo dos EUA que foram agora profundamente estudados, em vista da discussão sobre uma guerra contra Bagdá. O Centro para Controle e Prevenção de Doenças (em inglês, CDC) enviou amostras para vários locais no Iraque que, segundo determinaram os inspetores de armas da ONU, fazem parte do programa de armas biológicas de Saddam Hussein.É o que mostram registros do CDC e do Congresso do início da década de 90. O Iraque pediu as amostras, alegando que precisava delas para legítimas pesquisas médicas. O CDC e uma companhia de amostras biológicas, a American Type Culture Collection, enviou esporos de todos os germes usados pelo Iraque para a produção de armas - incluindo o antraz, a bactéria que produz a neurotoxina do botulismo, e os germes que causam a gangrena gasosa. O Iraque também adquiriu amostras de outros mortais vírus patogênicos, como o vírus do Oeste do Nilo.As tranferências ocorreram nos anos 80, quando os Estados Unidos apoiavam o Iraque em sua guerra contra o Irã. Elas foram detalhadas num relatório do Comitê Bancário do Senado de 1994 e numa carta de acompanhamento de 1995 do CDC ao Senado. As exportações foram legais na época e aprovadas sob um programa administrado pelo Departamento de Comércio. "Não acho que seria exato dizer que o governo dos Estados Unidos deliberadamente providenciou estoques de germes para os programas de armas biológicas do Iraque", disse Jonathan Tucker, um ex-inspetor de armas biológicas da ONU. "Mas eles entregaram amostras que o Iraque afirmava terem um legítimo objetivo de saúde pública, no que acho foi ingênuo acreditar, mesmo na época."A revelação coloca os Estados Unidos na desconfortável posição de terem providenciado os ingredientes-chave das armas que Washington diz querer agora destruir fazendo um guerra, segundo o senador democrata Robert Byrd. O senador deu entrada nos documentos num Arquivo do Congresso este mês. Byrd perguntou recentemente ao secretário da Defesa, Donald H. Rumsfeld, sobre a tranferência de germes numa recente sessão do Comitê de Serviços Armados do Senado. Byrd destacou que Rumsfeld se reuniu com Saddam em 1983, quando Rumsfeld era o enviado para o Oriente Médio do presidente Ronald Reagan. "Estamos nós, na verdade, enfrentando agora a possibilidade de colher o que plantamos?", perguntou Byrd a Rumsfeld depois de ler partes de um artigo da revista Newsweek sobre as transferências. "Nunca ouvi nada parecido com o que você disse ter lido, não tenho nenhum conhecimento e eu duvido que tenha ocorrido?, respondeu Rumsfeld. Mais tarde ele afirmou que iria questionar o Departamento de Defesa e outras agências governamentais para pesquisar registros em busca de evidências das transferências.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.