EUA esperam obter informações valiosas de Al-Nashiri

Autoridades norte-americanas esperam que a recente detenção do chefe de operações da Al-Qaeda no Golfo Pérsico, Abd al-Rahim al-Nashiri, traga à tona novas pistas sobre atentados em fase de planejamento ou já em andamento.O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, elogiou a prisão. "Estamos progredindo na guerra ao terrorismo. Trouxemosum assassino à Justiça", disse ele em Pushkin, Rússia, onde sereunia com o presidente Vladimir Putin.O saudita Al-Nashiri foi capturado no início do mês num país não revelado e agora está sob custódia dos Estados Unidos, revelaram ontem fontes ligadas ao governo norte-americano.Destacado colaborador de Osama bin Laden, ele é suspeito de ser o mentor do atentado contra o destróier norte-americano USS Cole em outubro de 2000. Após sua captura, ele passou algum tempo detido no Afeganistão antes de ser levado a um local nãorevelado, disseram as fontes.As mesmas fontes recusaram-se a entrar em detalhes sobre ascircunstâncias da prisão ou o local da captura. Ele foi vistopela última vez no Iêmen.Enquanto isso, o FBI alertava sobre a possibilidade deatentados contra embarcações, provavelmente com a utilização dehomens-rã para colocar explosivos em navios.O alerta faz parte de um boletim semanal do FBI distribuídoaos departamentos de segurança de todo o país e não mencionaalvos específicos, disse uma fonte.Al-Nashiri é provavelmente o mais destacado líder da Al-Qaedadetido desde março, quando ocorreu a captura de Abu Zubaydah,coordenador das diversas células da Al-Qaeda espalhadas pelomundo.Al-Nashiri seria responsável por supervisionar a compra e otransporte dos explosivos, o aluguel de casas seguras e oplanejamento e o financiamento dos ataques, garantiram asfontes.No entanto, a prisão de Al-Nashiri de pouco serviu paradissipar os temores de que a Al-Qaeda esteja planejando novosataques.Desde a semana passada, autoridades norte-americanas vinhamfalando sobre a detenção de um importante líder da Al-Qaeda, mas recusavam-se a revelar sua identidade. No domingo, o secretário de Segurança Interna, Tom Ridge, disse que o prisioneiro estava fornecendo informações aos investigadores.Os interrogatórios de Zubaydah e de Omar al-Farouq, chefe de operações da Al-Qaeda no sudeste da Ásia, renderam informaçõesvaliosas sobre novos planos de atentados. Suas declaraçõeslevaram a diversos alertas públicos nos últimos meses. As fontesesperam agora que Al-Nashiri forneça informações capazes deevitar novos atentados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.