EUA esperam ofensiva da Al-Qaeda, diz comandante militar

Cerca de 80 voluntários chegam ao Iraque a cada mês, pela fronteira com a Síria

Agencia Estado

21 Junho 2007 | 13h09

O comandante das forças americanas no Iraque, general David Petraeus, disse que os Estados Unidos esperam uma resposta da Al-Qaeda em reação à grande ofensiva militar lançada nos arredores de Bagdá contra os militantes da rede.Em entrevista ao jornal britânico The Times, Petraeus citou como exemplo dessa reação o ataque com um caminhão-bomba perto de uma mesquita xiita no centro da capital iraquiana na terça-feira, que deixou pelo menos 78 mortos.O general americano disse acreditar que, a cada mês, cerca de 80 voluntários da Al-Qaeda cheguem ao Iraque, cruzando a fronteira com a Síria.Segundo Petraeus, a Al-Qaeda quer assegurar que as recentes manchetes sobre a megaofensiva americana não "criem muita expectativa".Na entrevista, Petraeus negou as especulações de que o relatório a ser apresentado por ele ao Congresso dos Estados Unidos em setembro ajude a justificar uma retirada das tropas americanas do Iraque.O general disse que setembro era o prazo final para um relatório, não para uma mudança na política em relação ao Iraque.Ofensiva americanaA nova ofensiva militar americana contra militantes ligados à rede Al-Qaeda envolve cerca de 10 mil militares americanos e iraquianos.Segundo um comunicado americano, 22 supostos militantes teriam sido mortos nos estágios iniciais da operação na cidade de Baquba e cercanias.Os americanos afirmam que pretendem eliminar a Al-Qaeda de Baquba e das áreas próximas à cidade na província Diyala.Esta é uma área que tem registrado alguns dos episódios de violência mais fortes no Iraque neste ano, com o deslocamento para lá de grupos insurgentes após o aumento no número de militares americanos em Bagdá.

Mais conteúdo sobre:
Al-QaedaIraqueEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.