EUA está preocupado com possível fuga de óleo no Golfo do México

Governo norte-americano solicitou um plano para reabrir o poço em caso de vazamento

Efe,

19 de julho de 2010 | 06h00

WASHINGTON - O governo dos Estados Unidos expressou neste domingo, 18, sua preocupação com um possível escapamento de óleo detectado no poço do Golfo do México fechado pela petroleira BP e pediu que a empresa fiscalize de perto a situação e se prepare para a possível reabertura do poço.

O comandante da Guarda Costeira americana, almirante Thad Allen, responsável do governo por lidar com o vazamento de petróleo no Golfo, enviou nesta segunda-feira, 19,uma carta ao diretor-geral da BP, Robert Dudley, na qual afirma que é "primordial" observar o solo marinho após a detecção da fuga perto do poço, bem como "anomalias não determinadas".

A carta pede à BP que notifique o governo americano no prazo de quatro horas sobre qualquer fuga de petróleo.

Allen solicitou também à BP que envie ao governo por escrito um plano para reabrir o poço caso se confirme que existe um vazamento.

A BP instalou na semana passada uma enorme estrutura sobre o orifício por onde vazava petróleo ao mar e que desde quinta-feira vem servindo como uma espécie de tampão.

A empresa realiza desde quinta-feira, 15, testes de pressão para ver se o poço está em boas condições.

Allen disse nesta segunda-feira que os níveis de pressão são inferiores ao previsto e indicou que é necessário trabalho adicional para entender os motivos.

O temor do governo é que possa haver vazamento de petróleo por brechas da estrutura.

O vazamento de óleo no Golfo do México começou após a explosão em 20 de abril da plataforma petrolífera Deepwater Horizon, administrada pela BP, que afundou dois dias depois e deixou um poço de petróleo aberto no fundo do mar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.