EUA estão dispostos a estabelecer sanções contra Coréia do Norte

Os Estados Unidos estão preparados para impor à Coréia do Norte novas sanções sobre transferência de material e tecnologia utilizável na fabricação de mísseis, anunciou nesta terça-feira o governo sul-coreano.O enviado dos EUA para as conversas multilaterais sobre o programa nuclear da Coréia do Norte, Christopher Hill, comunicou na noite de terça-feira a postura de seu país em reunião com o vice-ministro de Relações Exteriores sul-coreano, Yu Myung-hwan, e o chefe da delegação da Coréia do Sul, Chun Yung-Woo.Segundo a agência de notícias "Yonhap", Hill argumentou que não houve avanços no diálogo com a Coréia do Norte, que não pretende retornar à mesa das conversas sobre seus programas de armas nucleares e mísseis balísticos.Na sua resolução condenatória, poucos dias depois de a Coréia do Norte disparar sete mísseis de testes, no dia 5 de julho, o Conselho de Segurança da ONU já abria a possibilidade de sancionar o regime norte-coreano.Segundo Hill, citado pela "Yonhap", a Coréia do Norte não respondeu às propostas dos EUA para comprovar a vontade de abandonar seu programa de armas nucleares.Hill, que chegou na segunda-feira a Seul para uma visita de dois dias, propôs outra forma de reunião multilateral mais ampla sobre a Coréia do Norte durante a Assembléia Geral da ONU, que começa nesta terça-feira.As conversas de seis lados, com as duas Coréias, China, EUA, Rússia e Japão, foram interrompidas em novembro, quando o regime norte-americano se retirando em protesto contra as sanções financeiras americanas.Segundo o Governo sul-coreano, uma reunião mais ampla poderia acontecer sempre de forma paralela.O subsecretário de Estado americano também admitiu a disposição de manter conversas bilaterais com a Coréia do Norte.O ponto de partida seria o acordo obtido na última rodada das negociações, em setembro de 2005, em Pequim. A Coréia do Norte se comprometia a abandonar seu programa de fabricação de armas nucleares em troca de incentivos econômicos para sua subsistência energética. O compromisso foi deixado de lado na quinta rodada, em novembro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.