EUA estão perto de desmontar Al-Qaeda, diz secretário

Os Estados Unidos e seus aliados estão próximos desmontar a rede Al-Qaeda após a morte de Osama bin Laden e obter informações sobre outras lideranças do grupo terrorista, disse o novo secretário de Defesa dos Estados Unidos, Leon Panetta.

AE, Agência Estado

09 de julho de 2011 | 14h41

O ex-diretor da CIA fez uma avaliação otimista sobre um fim das ameaças da Al-Qaeda em entrevista concedida durante o voo que o levou para sua primeira visita ao Afeganistão desde que assumiu o Pentágono, em 1º de julho.

Em entrevista separada, concedida depois, o general do exército David Petraus, o principal comandante dos Estados Unidos no Afeganistão, disse concordar com as declarações de Panetta.

Após a operação de 2 de maio, que matou Bin Laden no Paquistão, os Estados Unidos determinaram que eliminar "cerca de 10 a 20 líderes principais" da Al-Qaeda iria debilitar a rede, afirmou Panetta. Esses líderes estão no Paquistão, no Iêmen, na Somália e no Norte da África, acrescentou.

"Estamos próximos de desestabilizar estrategicamente a Al-Qaeda", disse Panetta. "O principal é isso, após termos pego Bin Laden, identificamos agora algumas das principais lideranças na Al-Qaeda, tanto no Paquistão, quanto no Iêmen e outras áreas", disse.

"Se obtivermos sucesso na busca por eles, acredito que realmente poderemos prejudicar sua capacidade de planejamento, para a realização de qualquer tipo de ataque" nos Estados Unidos. "Esse é o motivo pelo qual acredito que estamos próximos. Demandará mais algum trabalho? Pode apostar nisso. Mas acredito que estamos próximo de atingi-lo", disse Panetta. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
terrorismoAl-QaedaPaquistãoEUADefesa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.