EUA estudam como recuperar avião retido na China

Autoridades militares norte-americanas receberam hoje um informe da equipe que inspecionou o avião de espionagem dos EUA retido na China depois de chocar-se com um caça chinês no mês passado, informou um porta-voz do Comando Norte-Americano no Pacífico. Representantes do comando e especialistas em aviação da Frota Norte-Americana no Pacífico escutaram um grupo de inspetores da empresa aérea Lockheed Martin, que falou sobre as condições em que se encontrava a aerobave EP-3E Aries II. A reunião se concentrará na discussão sobre a melhor maneira de devolver o avião aos EUA.Segundo o tenente-coronel do exército dos EUA, Stephen Barger, os especialistas prepararão um documento com recomendações que será enviado ao almirante Dennis Vlair, responsável pelo Comando Norte-Americano no Pacífico, que, por sua vez, o levará ao secretário de Defesa, Donald H. Rumsfeld.A reunião começou ontem, imediatamente depois que os técnicos chegaram da ilha chinesa de Hainan, onde o avião se viu obrigado a realizar uma aterrissagem de emergência depois da colisão em 1º de abril. O incidente causou a morte do piloto do caça chinês. Funcionários norte-americanos afirmaram que o avião poderia ser reparado e devolvido via aérea aos EUA. Rumsfeld deseja que o avião saia de Hainan voando, mas as autoridades chinesas já descartaram essa idéia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.